Páginas

sábado, 31 de outubro de 2009

Feliz Halloween: A origem das supertições com os gatos pretos



Oi, gente. Hoje vou mostrar algumas coisas interessantes sobre os gatos no Halloween! Aproveitem!

Gato preto dá azar?

Há duas versões do suegimento dessa crença a primeira é:

Na Inglaterra no século 16, teve um grande aumento na populção de gatos, em consequência a perseguição a esses animais também
aumentou. Numa noite de 1560, um gato preto foi ferido a pedradas. Encurralado e com medo, o gato se refugiou na casa de uma velhinha que tinha o hábito de abrigar gatos de rua. No dia seguinte, a velhinha apareceu cheia de machucados semelhantes ao do gato, o que fez a população achar que ela era uma bruxa e o gato, o seu disfarce noturno. Isso bastou para que a população acabasse odiando os gatos pretos. A crença se espalhou por toda a Europa , e a matança de gatos só diminuiu quando em 1630, o rei Luís 13 proibiu a prática.

Outra versão é :

Na Idade Média, muitas mulheres eram acusadas e perseguidas como bruxas, mas uma em especial fez todos acreditarem que as bruxas se transformavam em gatos. Um grande número de pessoas perseguiam uma mulher frágil achando que era uma bruxa para joga-lá na fogueira. Durante a fuga, ela encontrou um local muito escuro e se refugiou lá, e a multidão ficou com medo de entrar no local. Um gato preto, que se abrigava lá, se assustou e correu em disparada na direção da multidão, ferindo algumas pessoas. A multidão correu atrás do gato, mas ele conseguiu fugir. A mulher não foi vista desde o ocorrido, e desde então, passaram a acreditar que ela tinha se transformadeo em gato.

Essa idéia persistiu por muitos séculos e hoje, infelizmente, presenciamos motoristas acelerarem o seu carro para atropelar o gato preto somente por ter passado a sua frente, ou crianças cometerem atos injustos contra um gato por que seus pais disseram que traz azar.

Quem sabe um dia isso muda, e o gato vai ser sinal de sorte, como a lagartixa é sinal de dinheiro.

Um comentário:

Lizandra disse...

É,ainda bem que eu não sou que nem essas crianças. Gente ignorante.